Menu

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Paris Fashion Week - Moon Young Hee


Hoje começa mais um Paris Fashion Week - Outono Inverno 2013/14, e no primeiro dia da semana de moda mais importante do mundo, nomes que a cada ano prometem concretizar o seu lugar no mundo da moda aparecem para abertura deste evento, tais como Moon Young Hee, Steffie Christiaens, Groud Zero, .....
Como muitas pessoas ainda não os conhecem, a partir de hoje vou colocar uma breve biografia de cada um deles.
Para os interessados, aqui esta o calendário oficial da Semana de Moda de Paris: http://www.modeaparis.com/en/fashion-shows/Schedules/Ready-to-wear

Estou montando um site para colocar todas as informações de estilistas, marcas, história da moda, ... organizados, mas enquanto trabalho neste projeto, vou colocando o seu conteúdo neste blog.

Começamos então com a coreana:

                                                                    Moon Youg Hee


Uma estilista coreana desde 2004 vem conquistando cada vez mais o seu espaço no mundo da moda.
Com seu estilo conceitual, esta estilista cria suas roupas com muita alfaiataria, sendo uma das primeiras a criar uma saia com tule com técnicas da alfaiataria.
É conhecida pelo seu estilo meticuloso, pelas camadas de tecidos e pelo uso sutil das cores em suas criações.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

O dia que durou 21 anos

E se não houvesse o golpe? E se a reforma que tanto se fala até hoje fosse realmente feita? E se o Brasil fosse comunista?? 1º mundo? Era realmente uma revolução comunista? Capitalista? Ditatorial.....
A pouco mais de 2 anos e meio moro na Argentina, especificamente na Capital Federal, Buenos Aires, e aqui se vive até hoje das lembranças da ditadura militar. Jovens que temem um golpe militar, outros um comunista, que choram pelos torturados e que cantam a marcha Peronista.
Essa semana por exemplo foi notícia que o ex médico do Hospital Naval, Jorge Luis Magnacco,  ( http://www.pagina12.com.ar/2001/01-05/01-05-17/pag13.htm ), estava andando na rua, sendo que ele está em prisão domiciliar.
Nessas e outras sempre me perguntam a respeito da ditadura militar no Brasil, e se referem a ela como uma ditadura sem muitas torturas, industrial, …. e assim esse assunto esta sempre presente nos meus últimos anos.
Ontem, navegando pela internet, procurando algum documentário para assistir, me esbarrei com “O dia que durou 21 anos” do diretor Camilo Tavares.
No começo fiquei tentando manter um raciocínio neutro...que a ditadura foi horrível, isso é óbvio, mas ao sentir uma leve pitada do típico esquerdismo de professores de história e geografia formados na época da ditadura fiquei com os olhos abertos...afinal, será que Goulart era tão bom? Foi ai que me vieram a cabeça as perguntas que faço nesse início de texto, mas é claro que as respostas nunca saberemos, já que o “se” vai ser sempre “se”, já que é impossível mudar o passado.
Não sou historiadora, nem especialista em este tema, sou apenas uma pessoa mais com interesse pela história do seu pais, e a única coisa mais a fundo que fiz mais a fundo ao estudar a respeito da ditadura militar no Brasil, foi por alguns meses ajudar uma professora no Arquivo do Estado em São Paulo, aonde estão guardados os documentos da época da ditadura...e para quem não sabe, não estão guardados a 7 chaves não, se tiver interesse pode ir até lá, ou também dar uma checada em alguns documentos pelo site http://www.arquivoestado.sp.gov.br/ , digo alguns, porque quando eu frequentava este lugar ainda estavam em processo de digitalização de documentos.
Por esse interesse, me “topei” com esse documentário que conta a participação ativa dos EUA para a instauração da ditadura. Contém áudio original dos telefonemas entre o presidente Kennedy, e depois Lyndon Johnson, com os embaixadores e cia, alias podemos dizer e CIA literalmente, do mesmo país aqui no Brasil.
É bem interessante, e deixa, pelo menos na minha opinião, o telespectador com vontade de assistir mais, já que ele relata a instauração do governo militar e não toda a sua trajetória de torturas, terrorismo e porque não sitar os “business”...como por exemplo a criação de uma tal de “Globo”...mas isso já seria assunto para outro documentário, que se chama Muito Além do Cidadão Kane http://pt.wikipedia.org/wiki/Beyond_Citizen_Kane .
Para quem tem curiosidade, deixo aqui o link para assistir “O dia que durou 21 anos” de 2011, produção da TV Brasil com a Pequi Filmes, e como já foi dito, com direção de Camilo Tavares...filho de uma das vítimas da ditadura..........