Menu

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Coisas que você só faz por quem ama... 1 - Missa



1.Se você é fervorosamente católico, ou simplesmente não gosta de ouvir opiniões diferentes as suas, aconselho a não ler este texto.
2. Não tenho a intenção de faltar ao respeito com ninguém, aceito as diferenças e respeito às escolhas alheias. Por isso também gosto que respeitem e aceitem as minhas.
3. GOD SAVE THE QUEEN!

Eu na minha primeira comunhão - eu ainda não era vegetariana.


      Domingo minha avó me convidou para ir almoçar na casa dela na terça (hoje), e convite de avó a gente não recusa, e por pensar assim, hoje acabei fazendo algumas coisas que eu não fazia há anos... Entrar em uma igreja sem ser por motivos turísticos, assistir uma missa e claro...a cereja do bolo...LER NO MICROFONE, DE CIMA DO ALTAR A PALAVRA DO SENHOR! AMÉM!
      Modéstia parte, uma das minhas qualidades sempre foi a simpatia e o bom trato com as pessoas, e isso me coloca em algumas situações complicadas, como hoje.
      Minha avó já me havia pedido para ir com vestes apropriadas para a casa do Sir. God. E assim eu fiz!
      Buscamos minha tia avó, numa longa caminha até o apartamento ao lado, e descemos até a igreja em frente ao prédio.
      Com muito orgulho fui introduzida aos freqüentadores do ambiente, aonde muitos, não me pergunte como, se lembravam da minha digníssima pessoa de 20 anos atrás... Essa galera toma remédio para memória... Certeza!
Sentadas (eu, vóvys and uncle Zélia) na sacristia, minha avó começa a conversar com o ministro da sua árdua missão de levar a sua “boneca do meio” (eu) na casa do Sir, e claro, o ministro não perdeu a oportunidade de utilizar o meu carisma e simpatia para pedir que eu lesse a palavra do senhor, e eu, claro... Aceitei... Se vocês soubessem como isso fez a minha avó feliz!
      Claro que a minha vontade era de terminar de ler e falar, com educação SEMPRE, algumas verdades sobre a igreja católica, que obviamente não são minhas, mas que eu li, estudei, em diversos livros, mas antes de tudo eu estava lá pelos familiares.
      Quando foi chegando a hora da Eucaristia o clima voltou a ficar tenso. Eu não como o corpo de “Jésus” já tem alguns vários anos... Desde quando comecei a entender a realidade das instituições religiosas. Isso eu tinha 16 anos!
       De repente veio a pergunta “Você vai comungar?” a resposta que eu gostaria de dar seria:
“1. Não acredito neste simbolismo criado a séculos atrás para atrair fiéis, os quais irão “apoiar” financeiramente esta instituição repressora.
2. Sou divorciada – amém – e segundo a igreja, me divorciei de Deus (ou Jesus, não lembro) assim que não tenho direito. E bom... O que Deus une o homem não separa... Claro... na época que escreveram isso deveria existir péssimos advogados, além do enorme papel de submissão da mulher na sociedade, em grande parte, devido a esta instituição religiosa.
3. Eu não me confessei como a igreja diz que se tem que fazer para receber a eucaristia ou hóstia, e NÃO me confessaria, já que não acredito no poder atribuído ao padre.
4. Não estou de acordo com o posicionamento desta instituição em relação aos meus amigos GLBT.
5. SOU VEGETARIANA E NÃO COMO CARNE! (Paramos por aqui se não serão muitos motivos.)”
      E esse motivo 5, foi o qual eu usei para quebrar o clima... mas acho que a piada não foi muito compreendida. Minha tia avó falou que por isso mesmo eu não precisava me confessar, porque eu sou vegetariana e já faço muita coisa boa para o mundo :D e a minha avó me explicou a respeito do que a bolinha de trigo (que por sinal estava mais grossa do que eu me lembrava...tive que mastigar!) e terminou com a sua típica frase: “Mas se não quiser, não precisa...mas se quiser pede uma graça...” E aquela típica cara de que VOCÊ VAI SE COMUNGAR! E eu mastiguei o corpo do Lord Jesus.
      Entre palavras do senhor, cantos e orações, eu não pude parar de reparar na arquitetura da igreja em que eu cresci e hoje passa por restauração nos seus afrescos.
      E nesse momento de vida (que faz parte da minha vida a +- 5 anos – should I stay or should I go), eu sei preço de apartamentos no Rio, Sampa, Buenos Aires, New York New York... tudo isso com uma imensa vontade de voltar a viver no interior.... mas cara...como eu nunca havia pensado em compartir a casa do Senhor!!
      Uma hora de missa faz coisas incríveis com a sua criatividade... Para quem conhece a Igreja da Santa Cruz de Rio Claro – SP tenta acompanhar meu raciocínio!
       Lá em cima, aonde seria o espaço para o coro e órgão seria o meu quarto. Em uma sacristia seria a cozinha, na outra o banheiro.. bem espaçoso, com banheira em estilo antigo para acompanhar a arquitetura, com pés douradas (para seguir o design).
       No altar teria uma mesa de jantar, aonde tem um piso mais alto, algumas poltronas, mas nada cheio de móveis para ter espaço para os meus convidados dançarem nas festas.
      Bar eu não precisaria, era só chamar o filho do meu companheiro de AP, ops, Igreja, e só água bastava.
      Em uma das salinhas laterais, manteria um altar para o Sir. Lord... Total estamos compartindo a casa, e ele teria total acesso a total as outras amenities.
      No outro faria meu escritório... cara iria ficar bacana!
      Uma amiga da minha avó questionou o fato de eu tirar a Igreja que a minha avó adora freqüentar, então eu disse, que como comparto a casa com Deus, toda semana teria missa lá..eu dou as festas e God – The Lord – as missas... é assim que funciona... DIVIDIR!
      Anyways... Obviamente nunca isso vai acontecer... mas a minha imaginação é fértil!  E o pior de tudo, é que eu não guardo para mim essas idéias.. eu comparto com as senhorinhas que freqüentam a Igreja.. OW GOD! The lord.
Bom, acho que este texto já se prolongou mais do que o necessário. Mas sim..realmente a minha vida é muito irônica! Eu me manifesto, tomo bomba e tenho que me esconder em portarias alheias quando o Papa chega, e depois estou lá lendo no altar. Eu me manifesto contra as instituições bancárias, em 2011 apoiei os indignados de Wall Street, e hoje...para quem meu digníssimo trabalha? Ow God!
      Cada vez eu vejo que é mais difícil virar uma adulta coerente e que segue os seus princípios ao pé da letra.
      Só para fechar, virei pop star por um dia da Santa Cruz e já estou convidada para voltar e ler toda semana na Igreja, ou pelo menos quando eu vier para Rio Claro. Mas minha avó falou que estava ótimo...maaaaassss... eu preciso ler um pooouco mais devagar! :) Amém!

 PS: Meu digníssimo costuma dizer que eu vou para o céu de first class, em jatinho particular tomando Veuve Clicquot, hoje eu paguei o piloto! Amém!

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Caetaneando com Caetano


Nada como poder caetanear na Bahia com o Caetano Veloso...



A viagem a Salvador era a trabalho...abertura da exposição “O Haver- pinturas e músicas para Vinicius” - da qual faço assistência de produção (o que já gera mais alguns posts), mas já que estamos na Bahia, melhor prologar a estadia e emendar com o fim de semana para aproveitar da primeira capital brasileira tomando uma cachaça de rolha em uma esteira de vime.

Ok..esteira de vime está em “extinção” e apenas serviu para parafrasear o Vininha.

No sábado dia 12 iria acontecer um show na Praia do Forte de Gal Costa e Caetano Veloso, não tinha como não ir.

A primeira a se apresentar foi a Gal Costa, que me faltam palavras para descrever o seu talento, inclusive para imitar o Tim Maia cantando Um Dia de Domingo. Mas este post vai para o Caetano.

O Caetano foi o cara que me fez comprar o meu primeiro CD de MPB (porque na infância eu escutava os discos de vinil dos meus pais...e ainda escuto...eu amo vinil), depois veio o segundo, também do Caetano e por ai em diante...

Mas eu sempre escutei a lenda da (desculpa Caetano) chatice do Caetano. Sua "mania” de querer silêncio nos shows e de se não estiver a fim de cantar...tchau tchau...não canta...quase um João Gilberto, mas venho com muita felicidade dizer que sim caro leitor, isso é lenda!

Durante o show "Abraçaço", aonde o cantor interpreta músicas do seu novo cd com o mesmo nome, Caetano caetaneou e fez todos caetanear em baixo de uma chuva que ia e voltava, lavando a alma de todos. Quase que um efeito especial.

Bendita chuva...

Foi essa chuva, que fez com que ao final do show (depois do super pedido bis) o Caetano, já dentro do seu carro voltasse ao palco e cantasse cerca de 4 músicas a mais. Essa chuva, que segundo Caetano, o fez sentir pena de nós, que lá permanecíamos aos gritos, aplausos e assobios pedindo mais e mais Caetano, que fez os músicos correrem de volta ao palco enquanto ele e o seu violão já tocavam para o público.

O Caetano dançou, pulou, se jogou no chão, abraçou e beijou o rapaz que subiu ao palco.

Bendita chuva...

Eu não sou nenhuma crítica especializada de música, mas posso dizer que senti neste novo CD – Abraçaço - uma aproximação ao público jovem, misturando arranjos eletrônicos (isso existe? Deu para entender?) com arranjos da MPB.

Super recomendo o seu novo show e cd!

Thanks Caetano!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Paris Fashion Week - Moon Young Hee


Hoje começa mais um Paris Fashion Week - Outono Inverno 2013/14, e no primeiro dia da semana de moda mais importante do mundo, nomes que a cada ano prometem concretizar o seu lugar no mundo da moda aparecem para abertura deste evento, tais como Moon Young Hee, Steffie Christiaens, Groud Zero, .....
Como muitas pessoas ainda não os conhecem, a partir de hoje vou colocar uma breve biografia de cada um deles.
Para os interessados, aqui esta o calendário oficial da Semana de Moda de Paris: http://www.modeaparis.com/en/fashion-shows/Schedules/Ready-to-wear

Estou montando um site para colocar todas as informações de estilistas, marcas, história da moda, ... organizados, mas enquanto trabalho neste projeto, vou colocando o seu conteúdo neste blog.

Começamos então com a coreana:

                                                                    Moon Youg Hee


Uma estilista coreana desde 2004 vem conquistando cada vez mais o seu espaço no mundo da moda.
Com seu estilo conceitual, esta estilista cria suas roupas com muita alfaiataria, sendo uma das primeiras a criar uma saia com tule com técnicas da alfaiataria.
É conhecida pelo seu estilo meticuloso, pelas camadas de tecidos e pelo uso sutil das cores em suas criações.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

O dia que durou 21 anos

E se não houvesse o golpe? E se a reforma que tanto se fala até hoje fosse realmente feita? E se o Brasil fosse comunista?? 1º mundo? Era realmente uma revolução comunista? Capitalista? Ditatorial.....
A pouco mais de 2 anos e meio moro na Argentina, especificamente na Capital Federal, Buenos Aires, e aqui se vive até hoje das lembranças da ditadura militar. Jovens que temem um golpe militar, outros um comunista, que choram pelos torturados e que cantam a marcha Peronista.
Essa semana por exemplo foi notícia que o ex médico do Hospital Naval, Jorge Luis Magnacco,  ( http://www.pagina12.com.ar/2001/01-05/01-05-17/pag13.htm ), estava andando na rua, sendo que ele está em prisão domiciliar.
Nessas e outras sempre me perguntam a respeito da ditadura militar no Brasil, e se referem a ela como uma ditadura sem muitas torturas, industrial, …. e assim esse assunto esta sempre presente nos meus últimos anos.
Ontem, navegando pela internet, procurando algum documentário para assistir, me esbarrei com “O dia que durou 21 anos” do diretor Camilo Tavares.
No começo fiquei tentando manter um raciocínio neutro...que a ditadura foi horrível, isso é óbvio, mas ao sentir uma leve pitada do típico esquerdismo de professores de história e geografia formados na época da ditadura fiquei com os olhos abertos...afinal, será que Goulart era tão bom? Foi ai que me vieram a cabeça as perguntas que faço nesse início de texto, mas é claro que as respostas nunca saberemos, já que o “se” vai ser sempre “se”, já que é impossível mudar o passado.
Não sou historiadora, nem especialista em este tema, sou apenas uma pessoa mais com interesse pela história do seu pais, e a única coisa mais a fundo que fiz mais a fundo ao estudar a respeito da ditadura militar no Brasil, foi por alguns meses ajudar uma professora no Arquivo do Estado em São Paulo, aonde estão guardados os documentos da época da ditadura...e para quem não sabe, não estão guardados a 7 chaves não, se tiver interesse pode ir até lá, ou também dar uma checada em alguns documentos pelo site http://www.arquivoestado.sp.gov.br/ , digo alguns, porque quando eu frequentava este lugar ainda estavam em processo de digitalização de documentos.
Por esse interesse, me “topei” com esse documentário que conta a participação ativa dos EUA para a instauração da ditadura. Contém áudio original dos telefonemas entre o presidente Kennedy, e depois Lyndon Johnson, com os embaixadores e cia, alias podemos dizer e CIA literalmente, do mesmo país aqui no Brasil.
É bem interessante, e deixa, pelo menos na minha opinião, o telespectador com vontade de assistir mais, já que ele relata a instauração do governo militar e não toda a sua trajetória de torturas, terrorismo e porque não sitar os “business”...como por exemplo a criação de uma tal de “Globo”...mas isso já seria assunto para outro documentário, que se chama Muito Além do Cidadão Kane http://pt.wikipedia.org/wiki/Beyond_Citizen_Kane .
Para quem tem curiosidade, deixo aqui o link para assistir “O dia que durou 21 anos” de 2011, produção da TV Brasil com a Pequi Filmes, e como já foi dito, com direção de Camilo Tavares...filho de uma das vítimas da ditadura..........