Menu

terça-feira, 30 de agosto de 2011

“Freaks” (Monstros) – Tod Browning . 1932


Utimamente (digamos que nos últimos anos ) fico pesquisando filmes “raros” para assistir, hoje, agora, acabei de assistir Freaks, que foi dirigido e produzido por Tod Browning. O filme é realmente MUITO BOM e MUITO INTERESSANTE.
Browning que havia produzido o filme Drácula (1931) que foi sucesso de bilheteira, arruinou sua carreira em 1932 com Freaks, um longa-metragem, que digamos está mais para média metragem, já que o filme conta com apenas 60 minutos, mas com certeza 60 minutos muito estranhos, imagino ainda nos anos 30.
O filme conta a história de um “circo de anormalidades” - Sideshow, aonde trabalha uma pessoa “normal”, a trapezista Cleópatra (Olga Baclanova), uma linda mulher que tem um caso com Hércules (Henry Victor), mas seduz e se casa com o anão Hans (Harry Earles), herdeiro de uma enorme fortuna, destruindo o coração de Frieda (Daisy Earles)
"Homem-Dorso" Prince Randian


Uma das coisas interessantes neste filme, é que os personagens no filme que sofrem de anomalias, são verídicos, por exemplo as irmão siamesas, que são siamesas de VERDADE, e passaram grande parte de sua vida trabalhando em circo, o “ homem-dorso” ( (Prince Randian ) que seu corpo é apenas a cabeça e um dorso, e ascende o cigarro sozinho por exemplo, ou seja todos são reais.
Quando eu comecei ver o filme, sem ler a respeito do “making-off” para não perder a graça, pensei noooosssssaaa nos anos 30 como eles faziam isso??? O cara andar sem perna, braço (?¿?¿?¿), não existia muitos efeitos especiais, até que descobri que era tudo real O.O
Para ter ideia, quando o filme estreou, foi taxado de subversivo, ofensivo e grotesco, um trabalho de extremo mau gosto e uma afronta aos direitos humanos dos párias usados em sua historia, o que não é verdade, já que Tod Browning tratava muito bem os astros, muito melhor que eram tratados outros atores por outros diretores.
Cleópatra (Olga Baclanova) e Hans (Harry Earles)
Este filme foi banido de muitos estados norte-americanos, e também de outros países como Reino Unido, e foi liberado apenas nos anos 60. Considerado de terror, para mim é muito mais drama que terror, aonde se analisa uma sociedade aonde a beleza física e a “normalidade” (vinda de um padrão estético difundido pela mídia) são os “valores” mais importantes em uma pessoa, e se você foge do padrão você é banido pela sociedade.
A sequencia quase ao final do filme, que se passa em uma noite de tempestade é considerada um dos maiores momentos do cinema macabro de todos os tempos. Vale muito apena assistir e pensar... a final quem são os Freaks?? Nós ou eles???? A sociedade???? Um filme feito a cerca de 80 anos atras, mas com uma “filosofia” atual.


(Elenco)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Eu ODEIO Rodeios



Meus pais sempre me falaram “Marina é feio falar eu odeio, é muito forte” e eu concordo, mas eu ODEIO rodeios!!!
Segundo o dicionário da língua portuguesa Priberam (www.priberam.pt) odeio significa:
v. tr.
1. Ter ódio a.
2. Aborrecer, detestar.
3. Sentir repugnância por.
Eu já fui a rodeios, graças a deus pouquíssimas vezes, 3 como muito, como já fui em tourada (em cada evento de tourada se realizam 5 eu aguentei ficar em 2 dai olhei para minha mãe depois de um velho ficar me olhando feio porque eu torcia para o touro e em voz alta, e fomos embora...eu também ODEIO touradas!)
Gostaria muito de saber a graça q as pessoas vêem um animal indefeso, afinal é a minoria, sendo maltratado por um covarde (por que ele precisa de várias pessoas para se defender). Já que isso é tão divertido, gira milhões pelo mundo, por que não voltamos a cultura antiga de Roma, e no lugar das arenas de rodeio, não construímos Coliseus (que arquitetonicamente falando é muito mais interessante) e colocamos os peões super “valentes” no meio com um leão??? Ele e o leão, só... sem palhaço, ambulância, nada...isso sim eu iria ADORAR!!!!
Quanto a cultura também, esse argumento já era, não precisa acabar com a festa, deixa a festa, os shows, bailes, só não coloca mais um animal irracional sentado como uma minhoca loca em cima de um touro e pronto.
Na última sexta-feira (19) na festa do Peão em Barretos um bezerro (BEZERRO nem boi era...) foi morto por outro idiota chamado Cesar Brosco, em uma prova muiiiiito interessante, inteligente, que com certeza saiu de alguém que gosta tanto de rodeio que tirou o próprio cérebro e encheu de esterco!!!!
A prova se chama Bulldog, aonde o peão (ou ser vivo com esterco no lugar do cérebro, como queiram) tem que descer de um cavalo em movimento e derrubar o bezerro usando apenas as mão, UALLL paguei um pau... (idiotas), acontece que esse ser vivo, denominado Cesar Brosco, fez tudo isso, só que torceu tanto o pescoço do bezerro, que ele ficou imóvel para sempre e teve que ser sacrificado com um tiro, agora eu imagino tudo isso acontecendo e a plateia gritando IHAAAAAAAA, VIVAAAAAAA + aplausos... depois nas aulas de historias nos ensinam sobre os bárbaros como se fosse a muitos e muitos anos atrás....tsc tsc, por isso que eu sou a favor da volta da prática das lutas do Coliseu com feras...aiiiiiii sim eu quero ver esses seres virarem cabra macho sim senhor...ai sim....
O Deputado Federal Ricardo Tripoli (PSDB/SP) apresentou nesta terça-feira (23) um projeto de lei que proíbe a perseguição de animais em provas de rodeios, para mais informações (http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/deputado-apresenta-projeto-para-proibir-rodeio )
Seres ridículos que somos.... raça estupida.... se a galera não mudar, na próxima vida eu quero nascer animal... isso sim!
Aqui esta a cara do sujeito César Brosco assassinando o bezerro... 
 
Agora o que me deixa mais triste é ver o pessoal indo para essas festas, dando $$ para eles, por mim faríamos uma manifestação e não iria NINGUEM a Barretos, até que tirassem os animais, pensa bem, existem muitos outros lugares para ir beber, dançar, escutar sertanejo que não maltrata nenhum animal...fica a dica... pronto EU ODEIO RODEIOS!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A Moda é Ironica


Ontem na aula “Taller de Estilo y Imagen” por coincidência lemos e discutimos sobre capítulos de um livro chamado “Víctimas de la Moda” de Guillaume Erner, e um dos capítulos, muito interesante por sinal, chama “La Moda es Irónica” ou A Moda é Ironica.
Este capítulo fala basicamente de como muitas pessoas utilizam a moda como uma máscara, para se esconder do que são, ou simplesmente para se fazer por algo que querem ser (o Eu ideal – que falarei em outro post).
“Curiosamente, a última tendencia respeita as línguas mortas. Graças a moda, nunca havíamos sido tão pessoas, do latín persona, que significa tanto pessoa e máscara”. “Sua cuique persona” : “A cada um sua máscara” ou “a cada um segundo sua personalidade” como proclamava um cuadro de Florentino Ghirlandaio” “A frivolidade intervem no processo de construção da identidade” (Guillaume Erner)
O texto fala de como hoje em dia nós tentamos nos ausentar e a más se converte em uma boa máscara para conseguir isso. É interessante se observarmos as pessoas do nosso convívio ou mesmo a nós mesmo como isso é fato.
Em 2004 eu estudei Psicologia do Usuário de Moda na FAAP, e estudamos coisas muito similares, e o mais interessante ainda, é que nós, que estudamos a moda e a levamos a “sério” e vemos o lado business da “coisa” aprendemos a como converter e chegar a pessoas com essa certa “fraqueza de identidade” (para não falar que algumas já nem as tem....) precisam consumir, consumir, mascarar-se, para se sentir a vontade em um certo ambiente social.
“Conhecíamos as civilizações da vergonha, as da culpa, e o mundo contemporâneo esta conseguindo inventar uma cultura de ironia. Tanto em nossa relação com os outros como com a realidade, ironizamos. A moda simboliza a influencia da ironia sobre os nossos modos de vida.” “La ironia se converteu em uma referencia estética indispensável”(Guillaume Erner)
Sinceramente, eu acho que cada um, desde que não se “meta” na vida alheia, ou como eu costumo dizer “não me encha o saco”, tem total de liberdade de fazer o que quiser para ser feliz, ou se sentir feliz, mas agora pensar e saber que a maioria das pessoas tem que se esconder para ser feliz é um pouco louco, não?
Óbvio, todos nós usamos moda, eu adoro a moda, isso não significa que todos somos “mascarados”. Esses são os que PRECISAM dela para se sentirem parte de algo, que tem que estar sempre comprando, comprando, tentando ser/aparecer algo que não é, ou que gostaria de ser, seja tanto fisicamente, emocionalmente ou financeiramente, mas...em todo caso... como infelizmente eu não posso salvar o mundo...continuem assim, por isso que o mercado da moda é um dos mais importantes economicamente no mundo ;D !
“Os que seguem de perto a moda não se vestem, se não que ironizam. Este comportamento não se explica pelo inconsciente do indivíduo, o autoriza a ter sem ser. A moda contemporânea tem feito da ironia seu xarope. O mundo da moda esta louco pela ironia”(Guillaume Erner)
Como eu sempre defendi e defendo, a moda é uma arte utilizada todos os dias por TODAS as pessoas, como uma maneira de expressar-se, por isso ser fashion é muito bom, mas ter SCC (síndrome do comprador compulsivo) é perigoso, e são pessoas assim que fomentam a moda como “futilidade” o que não é legal, mas como já dito, faz o nosso mercado girar e girar e girarr!
Tenho muito material interessante comigo que pouco a pouco vou postando aqui no blog para o pessoal que se interessa por moda, arte, cultura geral, …
E para as pessoas sem cultura de moda que pensam que o mundo da moda é formado por pessoas burras, sem cultura e fútil, pouco a pouco vou mostrar que NÃO É BEM ASSIM! Hehehe
Até a próxima, se estiverem a fim, comentem assim discutimos os assuntos ;) e valeu pelas SETE visitas que recebi em menos d 24 hrs haihaihaia A-D-O-R-E-I! :D hahahaha

Bibliografia
Erner, Guillaume.Víctimas de la Moda. Editora Gustavo Gili

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Introdução



Olá a todos, ou a ninguém (já que ainda não comentei com ninguém desta minha mais nova “empreitada”),
Criei este blog com a finalidade de expandir para o mundo, ou simplesmente guardar (o que é mais provável) alguns pensamentos que eu tenho e que eu penso “DROGA, como sou egoísta, o mundo deveria saber o quê eu estou pensando...afinal, sou conhecida internacionalmente (isso ninguém pode negar...pelo menos no Brasil/Argentina/Espanha/EUA algumas pessoas tem/tiveram esse privilégio :D ) pelas minhas ideias, ou “pérolas” ;)”
A minha primeira dúvida foi em que idioma escrever (devido a internacionalidade já dita), aí achei q seria injusto perante a minha pátria amada, idolatrada, salve salve se eu não escreve em meu idioma natal/nativo português!
O título do meu blog também deriva da minha personalidade um pouco irônica, jura?? Uma vez meu ex disse que eu chegava a ser maquiavélica, mas ai eu já descordo, por quê não tenho tanta “esperteza” para o fato...confesso q as vezes sou um pouco devagar, mas só chego no quase parando, porque parar não pode... certo?
Então em clima de inauguração e comemoração ao meu lindo blog, ou blogger, vamos festejar com muita música, que não é rock and roll e não contem cenas de sexo, agora se é uma droga, fica a critério do público! Um grande abraço e até a minha primeira postagem de utilidade pública (essa foi apenas uma introdução ;D )